mercoledì 26 marzo 2008

Mulher e aborto – Fórmula mágica para purificar a alma


Articolo Correlato: Italiano

Gavidez indesejada? Se você vive na Itália, pode abortar à vontade que as igrejas protestantes italianas penserão ao ritual da sua purificação. Se chama ritual de cura pós-aborto, e deverá ser adotado por todas as igrejas protestantes italianas, em favor das mulheres que interrompem a gravidez. Foi publicado na revista Reforma, o semanal das igrejas evangélicas italianas.
Então, o que se deve fazer, depois que abortar? Bem, o ritual consiste em fazer uma “oração” comunitária, seguida pelo testemunho da mulher que abortou, ok? Quando a “aborturiente” terminar a narração, uma das mulheres presentes à cerimônia, pronuncia a fatídica fórmula mágica: Seja curada, irmã, seja íntegra.

Logo depois, outra mulher pega um vaso cheio de terra de cultivação e semeia dentro dele algumas sementes, pronunciando outra interessante fórmula milagrosa: A vida foi quebrada, a vida morreu, mas a vida renasce, a vida continua... Sacaram? Aí então, a mulher que abortou, rega o vaso que lhe foi oferecido. Pronto. Você tá purificadinha.

O aborto aqui na Itália, secondo um artigo publicado na revista Panorama, é plenamente legítimo nas igrejas protestantes e a mulher tem total liberdade de escolha em continuar ou interromper a gravidez.
O ritual significa solidariedade da comunidade à mulher que teve que interromper a gravidez.
Não se sabe, ainda, de qual bíblia as mulheres evangélicas italianas elaboraram essa interessante fórmula lenitiva pós-aborto, nem da total eficácia do milagroso ritual. Sabe-se, porém, que, com certeza, vai dar muito pano-pra-manga com a igreja católica que já começa a polemizar. Quem viver, verá!
Fonte: Panorama

mercoledì 19 marzo 2008

Ter saúde na Europa, é obrigatório

Articolo correlato - italiano
Depois de algumas normas aplicadas a nível europeu sobre a obesidade, decididas no último congresso de Istambul, outros países lançam novas regras.
O plano Ganhar Saúde na Itália, propõe um kit contra a morte evitável, que está fazendo discutir. Campanhas educativas pra melhorar o estilo de vida, estão caracterizando a política sanitária como agressiva, com sansões e medidas pra dissuadir quem hesita em mudar de hábitos.
Uma filosofia sustentada por importantes sociedades de médicos profissionais. De fato, há alguns meses, foi hipotizado pela Sociedade Italiana de Cardiologia, o aumento do ticket pra consultas e análises daqueles que adoecerem por causa do fumo ou por sobre-peso. Analogamente, a Grã Bretanha, decidiu que fumadores irredutíveis, obesos e alcóolatras deverão ficar no fim da fila de espera pra cirurgias e transplantes cardíacos. E a pergunta tà na boca de todos: é lícito interferir na delicada esfera da liberdade de escolhas individuais, mesmo que essas escolhas comportem consequências pra a própria saúde? Daniel Callahan, bio-esteticista americano responde: Se nós devemos culpar fumadores e obesos, é justo, também, que façamos objeções a quem pratica esportes como delta-plano, pára-quedismo, alpinismo etc. E como ter a certeza que tais doenças sejam causadas diretamente pelo estilo de vida errado, se sabemos que são vários os có-fatores que podem causar certas doenças, inclusive a pré disposiçao genética? E a polêmica tá aí quentinha, pronta pra ser servida.

mercoledì 12 marzo 2008

Pensieri "laterali" di Sarkozy vs Bunga-Bunga di Berlusconi!



Quando cerchiamo di risolvere un problema soltanto col metodo razionale del pensiero tradizionale, otteniamo dei risultati logicamente corretti ma non sempre questi risultati sono applicabili a tutte le situazioni.
Quando i risultati ottenuti non soddisfano pienamente le esigenze, ci vogliono soluzioni veramente diverse e innovative. E’ necessario stravolgere il problema, (Berlusconi ci'è riuscito benissimo dis-Bunga-Bungare) ribaltare i dati, mescolare tutte le ipotesi, negando, se necessario, certe sicurezze e perfino affidarsi ad associazioni di nuove idee, del tutto casuali. In questo se basa il pensiero laterale di Edward De Bono. E Sarcozy si è dimostrato un presidente che sa governare usando il pensiero laterale.
Abbandonare il tradizionale pensiero verticale – quello basato sulle deduzioni logiche – per entrare nella lateralità del pensiero innovativo, non è mica facile. Sarkozy ci sta riuscendo molto bene. Lui pensa lateralmente, ve lo dico io!
Pensiero laterale è la liberazione dalle prigioni concettuali delle vecchie idee, dall’eccessiva verticalizzazione decisionale che i soliti paradigmi ci impongono, dando spazio a nuovo sguardo sulle cose che sono sempre state considerate dallo stesso angolo visuale.
Nell’era degli accessi – internet e le potenzialità che le moderne tecnologie informatiche permettono - anche i pensieri dovranno adattarsi alla modernità, concedendosi a nuovi accessi su tutti i fronti e a ogni livello, anche quelli personali. Sarkozy ha già capito bene questo.
Nell’era del pre-Sarkozy, i presidenti pensavano “solo” a governare la Nazione, in discapito dei procedimenti personali. Di conseguenza, imperava di più l’ipocrisia. Tutto che riguardava le debolezze del cuore (e non solo), doveva essere nascosto, fatto in sordina (Bill Clinton non ebbe tale fortuna, ahilui!). Il presidente doveva pensare soltanto a elaborare dei risultati, mica elucubrare procedimenti propri. Ma i risultati, si sa, li si può solo ammirare, i procedimenti, invece, si possono apprendere l’uso. (Una notifica al nostro futuro premier).
Diamo spazio alla nuova mentalità diplomatica laterale! Non sempre una Nazione ha l’opportunità di eleggere un presidente sposato-divorziato-fidanzato-risposato in solo due mesi.
Ma se dovesse succedere in Italia - ça va sans dire – che ben venga, saranno segni di modernità, di un paese che comincia a pensare lateralmente, mica un paese ormai perso tra il declino e la banca rotta di Ian Fisher!
Governare, quindi, è anche questo: essere padrone di se stesso, sapere esporre il suo lato umano, aver il coraggio di dimostrare non solo che ha un pugno di ferro, ma anche… beh… altri membri che, nonostante la pesante carica di un paese alle spalle, l’aiutano a reggere molto bene, tutte le altre funzioni.

domenica 9 marzo 2008

Echelon! Alguém nos espia - Cuidado!



Will Smith, quando filmou ‘Enemy of the State’ afirmou que a tecnologia de espionagem mostrada no filme é nada,comparando àquela real. Fazendo um saltinho à Cia pra reconhecimento, o nível tecnólogico dos poucos instrumentos que lhe mostraram, era impressionante. De gravador pra ser inserido em um dente à arma especial que bloqueia à distância, um motor de um carro em alta velocidade. Hoje, que queiramos ou não, somos todos espiados. A Nsa (National Sicurity Agency) com seus satelites e os 120 mil agentes, tem a capacidade de controlar todos os nossos movimentos: dos telefonemas aos e-mails, dos pagamentos com bancomat a cartas de crédito.

Um Big Brother de Ultra Dominio à distância?
Penso proprio de sim. Qual maior Big Brother que a Nsa, criada em 1952 pelos EUA, pra combater a guerra fria? Através dos seus satélites passa 95% das comunicações ocidentais. Fax, mensagens eletrônicas e mensagens beeper, são desviados a 50 posições de escutas em 20 países do mundo. O supercomputador Cray, é adestrado pra reconhecer certos números de telefone, timbre de voz ligadas ao terrorismo e, basta que em uma e-mail contenha a palavra bomba ou Bin Lader, pra que a mensagem termine nas mãos de um selecionador da Nsa, que passa à Cia, FBI, departamento de Estado ou a uma das agências da Intelink – rede Intranet top secret – onde os espias americanos trocam mensagens.

Echelon é uma rede de escuta que mantém sob controle o inteiro planeta; graças ao software N-gram, pode monitorar o trafego das comunicações, analisando todas as mensagens que contenham uma ou mais palavras chaves. Sem falar nos circuitos internos externos, micro câmeras e cia... que guia cada passo nosso. Durma com esse barulho...!

venerdì 7 marzo 2008

Attenti! Potete essere gravemente malati senza saperlo



L’avanzo veloce della tecnologia moderna può anche sviluppare diverse sindromi, che se non trattate, possono essere fatali. Se chiamano malattie del nuovo secolo.
Fatte attenzioni a questi sintomi, prendendo appunti per un’eventuale necessità di informare al vostro medico:
- Ritenete il divano il posto migliore della casa?
- Qualsiasi piccolo lavoro vi costa un’enorme fatica?
- Odiate svegliarsi presto e sbrigarsi per arrivare in tempo al lavoro?
Allora potete essere affetti da una sindrome chiamata disturbo del deficit motivazionale (motivational deficiency disorder moded). Secondo l’articolo pubblicato nel British Medical Journal, questa nuova malattia è una forma di pigrizia estrema che affetta 1 su 5 persone, e se non trattata, può essere fatale perché il malato può arrivare a un punto di totale mancanza di stimolo per respirare. E’ stata scoperta dagli scienziati australiani, guidati da Leth Argos dell’Università di Newcastle.

Una piccola azienda farmaceutica sta concludendo uno studio con la molecola chiamata indolebant e già dimostra ottimi risultati. Un giovane che non riusciva abbandonare il divano, dopo aver preso la medicina, lavora come assessore finanziario a Sidney.
– Se trovate la vita meglio quando hai più degli altri;
- Se desiderate successo;
- Se desiderate migliorare sempre di più e adora essere speciale;
Sappiate, allora, che siete affetti da una sindrome molto grave. Probabilmente sono i sintomi Dsacdad (disphoric social attention consumption deficit anxiety disorder), cioè, qualcosa come Disordine d’ansia disforica dovuta a insufficiente consumo di attenzione sociale. Ma state tranquilli. Per questa malattia emergente, ma molto trascurata, esiste già un nuovo farmaco eccezionale, Havidol, che in inglese suona come Have it all, espressione dai significati molteplici e non sempre traducibili.

Tranquilli, tranquilli…! È soltanto uno scherzo. E’ una satira che l’associazione americana in difesa del consumatore sta promuovendo in rete, contro le strategie di marketing delle industrie farmaceutiche, con la complicità di istituzioni pubbliche che dovrebbero vigilare sulla salute dei cittadini (ad esempio la FDA-Food and Drug Administration, l'agenzia americana preposta al controllo dei farmaci). Il disease mongering è il termine usato per definire la tendenza a coniare nuove patologie, con lo scopo di vendere medicine a un maggior numero di pazienti. A esempio, si stabiliscono valori sempre più bassi di normalità per il colesterolo o la pressione arteriosa, ottenendo molti pazienti fuori norma, con il solito asterisco sulle analisi; una semplice timidezza se trasforma in una grave sindrome del disturbo d’ansia sociale.

Secondo il British Medical Journal, le agenzie di pubblicità satiriche, creano una malattia inesistente, nel caso citato, una sindrome che consiste in non soddisfarsi mai. Mettono in rete un teste disponibile ai lettori, dove basta rispondere un “” per entrare nella categoria dei malati, offrendo l’Havidol come medicina per curarsi. E… credetemi! Ci sono cascati in tanti, e molti di loro hanno scritto chiedendo informazione più detagliata.

domenica 2 marzo 2008

A mídia é invasiva. Nunca se deixe manipular!

Programazione mentale (Italiano)
Levantando o véu da sociabilização que cobre a nossa verdadeira natureza, as pessoas poderiam se tornar mais sinceras, se abririam a uma visão mais larga, aprenderiam a pensar com a própria cabeça e não se deixariam modelar facilmente do mass media ou do sistema sócio-econômico no qual vivemos.
Quando as pessoas abrem o coração, a mente e a alma, começam a se interrogar, a organizar as próprias idéias, a não aceitar as inverdades políticas, as informações manipuladas, facciosas, modeladas para os interesses de poucos; começam a se indignar com os danos ecológicos e com a insensibilidade às desigualdades.
Os manipuladores mentais, aqueles que querem instaurar um governo único no mundo a benefício de poucos, (eles existem, nao é ficção) pretendem nos dotar de microchips. David Icke no seu livro “E a verdade vos libertará”, é convicto que isso acontecerá em pouco tempo. Com o uso da Técnica Diversiva, eles começam a processar isso, gradualmente, pra sensibilizar a opinião pública. Hoje, é comum na Europa, dotar animais de estimação com microchip, ligado a um computador central. Esse dispositivo é vendido aos proprietários, com o objetivo de que nunca mais perderão seus queridos animais. Enquanto isso, outra medida manipuladora já está sendo providenciada, ou seja, a da eliminação de moedas e cédulas, dessa forma as transações monetárias serão feitas eletronicamente, através de cartões de crédito ou smart cards. A idéia é de combinar a carteira de identidade com o cartão e de registrar todos os dados pessoais em um microchip. Tudo isso será armazenado em um computador global, o que nos faz associar à “besta” do apocalipse. Assim que forem criadas as condições favoráveis para que a população aceite essas modificações, o microchip será transferido do cartão de crédito ao corpo humano. Isso tudo será apresentado às pessoas como um instrumento que lhes trará somente vantagens pois dará um fim às fraudes - como a clonação dos cartões – roubos ou perdas. Tudo depois de ter tomado a precaução de difundir com insistencia nos maiores meios de comunicação, frequentes casos de clonação e fraudes referentes aos documentos em questão. Talvez seja o caso dos manipuladores começarem com o inserimento de microchips nos recém-nascidos. A tecnologia já existe e para executá-la, bastam poucos segundos.
O único nó da questão, seria justamente convencer os pais e a opinião pública a aceitá-la, ou quem sabe, até mesmo pedir a aplicação da mesma. Como? Basta dar relevo na mídia das histórias de crianças desapericidas ou bebês que foram roubados nas maternidades e o prato tá feito. E existiria melhor solução pra o caso senão o de “etiquetar” eletronicamente todos os recém-nascidos? Daí ao microchip, o passo é breve. Com a técnica diversiva, não é por nada difícil programar a mente de uma mulher para que ela roube uma criança em alguma maternidade. Tudo isso podera criar um pânico social, despertando o desejo de requerer das autoridades, medidas de segurança mais rígidas.
Livre-se da automação mental, pense e raciocine com sua própria mente. Ah, eu faço isso! Nao é verdade! Todos somos programados desde a infância, e por isso somos como robots, reagimos no automático. Somos tão automáticos que se alguém colocar uma placa na frente de uma loja escrito: “Saldo” ou “Liquidação”, e em vez de abaixar os preços, eles forem aumentados, você vai entrar e comprar o produto com preço mais caro do mercado, pensando que pagou uma pechincha. Se não acredita, faça uma prova e veja se não funciona.
Fonte: David Icke