domenica 25 novembre 2007

Noticias em Pilulas


1. Reserve sua passagem pra o espaço. Custa 200 mil dólares a aventura de duas horas, à bordo das naves da Virginia Galactic, a primeira companhia espacial privada. Os primeiros turistas espaciais, encontraram-se com Richard Brason, - o industrial que foi também um dos pioneiros dos vôos low cost – em sua ilha privada, pra uma espécie de seminário preparatório. Subirão a uma quota de 130 Km, onde permanecerão por 4 minutos, experimentarão a ausência de gravidade e terão uma visão da Terra, impagável. A primeira navezinha com 6 lugares, mais dois dos pilotos, está sendo construída no deserto de Mojave, a SpaceShip Two.
O Espaçoporto é previsto no Novo México, onde os aspirantes cosmonautas transcorrerão 3 dias, antes do embarco, fazendo testes médicos e training. A primeira viagem està prevista pra antes de 2009 e os 100 primeiros lugares já estão todos reservados. Pra os turnos sucessivos, se poderá tentar reservar no site www.virgingalactic.com/htmlsite/book.html.
Aos felizardos... Boa ‘Espaçoagem’!
2. O escremento agora vale! O escremento humano não é mais privo de valor. Serve pra produzir biocarburantes com o sistema idealizado pela canadense ‘Dynamotive. Se baseia na pirólise e prevê o aquecimento da matéria a 500 gráus em ausência de oxigênio. Logo, nunca mais chame um ser desprezível de M....da!
3. O código em barras vai se aposentar. Estão pra ser viabilizadas as etiquetas que substituirão os códigos em barra. A União Européia escolheu o sistema Rfid (Radio frequency identification) que reconhece informações contidas em um microchip e ajuda na luta contra a pirataria do produto e na gestão dos riscos sanitários-alimentares. O anúncio foi feito no Cebit (salão das tecnologias) de Hannover.

mercoledì 21 novembre 2007

Un'Appendicite Mooolto Particolare!



Cosa significa, quando una donna comincia a sentire nausea, pancia e seni gonfi e la mancanza del ciclo? Per qualsiasi essere mortale, in pieno possesso delle facoltà mentali, anche se non ha mai aperto un libro di medicina, queste cose qui, a priori, sono i segni evidenti di una gravidanza, giusto? Sbagliato. Almeno per il ginecologo che ha accompagnato una ventiquattrenne di Bari. La diagnosi? Udite, udite! Appendicite acuta. Per combattere questo pericoloso male, ha consigliato una cura emergenziale che è andato avanti per cinque mesi.
Ma questa cosa deve essere successo nell’entroterra della Congo, Bangladesh, Senegal? Macché! Proprio QUI! In Italia.
Così, dopo cinque mesi di cura nel combattere l’appendicite acuta, niente è cambiato. La pancia della signora continuava a crescere. “Ma che cavolo di malattia è mai questa, santo cielo!” Si chiede il dottore sbalordito. “Dai ragazzi” – si rivolge all’entourage che lo segue – “controlliamo, i reni, fegato, cuore, stomaco… qualcosa deve venir fuori, altrimenti, appendo il camice. Per sempre!
“Dottore, non abbiamo trovato nulla negli organi. Eppure, ogni tanto la pancia trema”.
“Ma cosa dite! Provate una tac ai ginocchi, al torace e schiena, pure nei tendini, non vorrei che lei avesse presa la malattia di Albert – l’Achilloborsite. Sbrigatevi!”
“Niente dottore. Non abbiamo trovato nulla. L’unica cosa che manca controllare è l’utero, non possiamo fare un’ecografia?”
“Mannaggia! Eco cosa manca!” Pensa tra se. “Certamente, ma prima sarebbe meglio fare un accurato esame audiometrico, per esserci sicuri di aver scandagliato l’interno della signora, in ogni parte. Non si sa mai. Muoviamoci!
“Eureka! Ecco dottore, c’è qualcosa dentro della pancia. Eppure si muove!”
“Siete sicuri?”
“Certo, dottore, cosa sarebbe, secondo Lei?”
“Bene, se non se tratta di appendicite acuta, allora…"
“Allora???” Chiedono in coro, stupiti.
“Può darsi che la signora abbia un grosso problema ovvero l'arresto del ritmo di evacuazione delle feci dall’intestino… stitichezza, insomma. Essendo così, accumula troppa area, causando un’aerofagia il che genera il gonfiore dello stomaco. Il tutto può generare un malessere generale di origine psicosomatica, portando la paziente a uno stress cronico, il quale interferisce nei cicli mestruali. Non se può scartare neppure il problema di ACANTHOSIS NIGRICANS, ovvero distrofia papillaris che affetta generalmente le donne, dopo i trenta.
“Ma dottore, l’ecografia…”
“Ah, già, l’ecografia, cosa avete trovato?”
“Un bambino, dottore, abbiamo trovato un bambino!”
“Ah, bè. A questo punto non ci resta che fare un’interruzione della gravidanza che consiste nella dilatazione strumentale dell’utero, seguita dell’estrazione del feto, dopodiché la paziente non avrà più tutti quei disturbi”.
Ma… siete sicuri che questo qua abbia veramente eseguito il giuramento ippocratico? Mah!
Conclusione: L'indagine, ancora alle prime fasi, è coordinata dal pm Angela Morea che ha iscritto nel registro degli indagati per lesioni colpose gravi il ginecologo, in servizio in una clinica privata di Bari. Ansa.it

giovedì 15 novembre 2007

Mulher Executiva = Solteira Pra Sempre?



Algumas pesquisas afirmam que a maioria das mulheres executivas terminam ficando sozinhas. A não ser que sejam acometidas pela grave síndrome chamada nos Estados Unidos de Miranda Complex. Lembram da advogada de Sex and the City, que vive uma relação problemática com um “barista” que não está nem aí pra o sucesso professional? Pois bem. Essa síndrome está contagiando muitas mulheres de liderança no Reino Unido e EUA, condicionando-as a se sentarem várias vezes no divã do analista, colocando muitas delas em um estado de rendição. Culpa de homens que ainda não conseguiram enxergar a mulher emancipada como tal? Pode ser.

Dizem as más línguas que a base dessa obstinação está no sentimento, tão velho quanto o mundo: a inveja do ventre. A maioria dos homens continua assustada por causa da potencial supremacia da mulher. Que queiram ou não, somos um laboratório bioquímico que produz almas e transmitimos emoções que poderão influenciar o feto no modo como ele interagirá com o mundo. Logo, o homem teme que se acrescentarmos um poder a mais – no campo político, social ou industrial que seja – o sexo forte terminará marginalizado. Esse sentimento vai passando de pais a filhos e nem mesmo as novas gerações aceitam de boa vontade o papel da mulher de poder.

A mulher, sendo um ser intrinsicamente emotivo, começa a ressentir-se. É um dissabor que se insinua nos jantares entre amigas, igualmente executivas, que se encontram à noite nos restaurantes, sem um trapo de homem do lado. Algumas o perderam, próprio nos almoços e jantares, onde elas passavam todo o tempo a atender telefonemas de trabalho, e depois disso, eles desapareceram pra sempre. O que fazer! Muitas já estão se organizando, criando associações pra encontrar um modo de conciliação. As Mirandas Complex já estão recorrendo a truques estratégicos, a fim de que o status quo não seja um fardo pesado pra eles. É desolador, mas muito realístico. Em outros tempos, muitas mulheres simulavam o orgasmo, hoje, pra não castrar o pobre companheiro, escolhem o baixo profilo, procurando se obscurar aos olhos deles.
Quando você ver uma amiga com uma brilhante carreira, autônoma, de repente se tornar insegura e dependente de um macho, pode apostar que pegou a síndrome de Miranda.
O que fazem, então, as ricas e afirmadas executivas? Escondem o verdadeiro status de bem-estar pra não intimidar e ferir o brio desses frágeis e sensíveis aspirantes a não-se-sabe-bem-a-que coisa, só pra não ter que passar as noites rodeadas de potentes amigas em crise, quase todas sócias de círculos tipo SOS-mulheres desesperadas.

Elas começam escondendo no fundo do armário todas as bolsas, óculos e vestidos grifados; os amigos potentes são ocultados, assim como masters e diplomas empresariais. Sabe como é, né? Melhor que ele não veja, senão escapa!
Se apresentam, não como Diretora-Gerente-Presidente, mas como Responsável da Administração... Comunicação... Exportação etc. As viagens de trabalho, são meras visitas aos pais, tios ou avós enfermos. Estaciona o Fora-de-Estrada no fundo da garagem por tempo indeterminado, usando sempre o micro carro de segunda mão. Esses sao sintomas que poderão ser resolvidos com poucas sessões de psicanálise.
Mas Atenção! Se uma sua cara amiga, antes muito independente e autonôma, e agora começar a dizer: ao restaurante é ele que deve escolher e fazer os pedidos; comunicar ao taxista a destinação é incubência do macho, ou começar a fazer com que ele acredite que sem os seus conselhos ela é uma mulher morta, ajude a pobre coitada. Interne ela urgentemente, no primeiro hospital psiquiátrico que encontrar. A síndrome di Miranda é em fase aguda. E isso é Grave!

Se possível, esconda dela todos os manuais que já foram publicados, ensinando todas as Mirandas arrependidas como segurar seu homem com um mix de paixão, diálogo, renúncias, dependências, submissão e overdose de carinhos e até como comportar-se como uma boa mãe, perdoando as suas eventuais traições.

Tudo bem, pode ser até que ela se cure, mas é bem melhor ser uma Miranda sozinha, com histórias ocasionais, e poder gozar dignitosamente o sucesso, sem nenhuma síndrome ou complexos “mirandolantes”, que uma anti-pós-contra-Miranda, que renunciando seu sucesso e autonomia, ganha, unicamente, um musculo a mais .

lunedì 12 novembre 2007

Mulheres "Liftingadas"! Exijam uma Nova Idade!














Leggi in Italiano Donne Rifatte!

Gostaríamos de ser como os homens, esse ser super valorizado, em que rugas é charme, ter mais de 50 é símbolo de poder e estabilidade (tem até alguns que acrescentam uns aninhos pra se sentirem como tal), ser solteiro é ser emancipado e contar aos amigos que deu 20 com 10 mulheres diferentes, em um só fim de semana, é um ser super dotado.
São muitas as mulheres que AINDA correm atrás de um homem- âncora, um maitrê-à-penser pra haver uma identidade (im)própria, pois, é ele o “ser” que, ainda hoje, confere uma identidade a uma boa parte de nós.
Mas nós, fêmeas, quase nunca conseguimos ser assim... culpa desse odioso caráter feminino secundário, fonte de tanta inútil dignidade...
Solteira? Tá ficando pra titia. Rugas? Sinal evidente de decadência. Passou dos 50? É já gagá. Ah, não! Desculpem-me. É ainda MUITO jóvem só como cadáver. Coitada, tinha ‘só’ 53 anos... (tem até algumas, pobrezinhas, com um grau de cretinice a mais, que pensam de se jogar do 10º. andar pra ser ‘precoce’ em alguma coisa, mas já se viu?). Tá bom, diminuir a idade é nossa característica fundamental, mas o que tem de mais? Pensando bem, os 40 e X anos não são exatamente todos esses 40 e X. Se diminuirmos os anos de sono, ficam em torno de uns... ham... vinte e X, por aí.... E ai do imbecil que se atrever a quantificar o maldito ‘X’!
Que fazer pra combater essa injustiça social? Institucionalizar o ritual do lamento, chorando nos ombros uma das outras, nos tradicionais chás da Luluzinha não serve. Vamos raciocinar, gente, (incluindo homens e políticos em geral): pegue uma mulher de 60 anos que perdeu 15 depois do último lifting... Por que a data de nascimento dela deve continuar invariada nos documentos? Por que não diminuir tantos anos quantos forem cancelados pelo bisturí? As instituições pensem bastante, antes de chamá-la de velha e ainda por cima em idade aposentável! Um apelo aos políticos a pensar sobre o assunto, pois é uma ótima iniciativa pra fazer um acordo entre a lógica de um altíssimo introit fiscal e a resolução de uma injustiça que nós mulheres (liftingadas ou não), não podemos mais suportar. Será que nenhum político ainda pensou nisso? Uma mulher acima dos 60, que demonstra 45-50 depois da plástica, por que as instituições se obstinam em chamá-la de terceira idade, e ainda por cima, tendo que lhe pagar uma aposentadoria! Nao é um absurdo?