ES2

martedì 23 febbraio 2016

A mamografia é uma farsa médica cruel!



Há um medo sutil da liberdade, então todos querem ser escravos. Todos, é claro, falam de liberdade, mas ninguém tem a coragem de ser verdadeiramente livre, porque quando você é verdadeiramente livre, você está sozinho. E somente se você tiver a coragem de ficar sozinho, você pode ser livre (Osho)

De acordo com os trabalhos realizados nos últimos 5 anos ficam evidentes as  repetidas conclusões, que mostram que a mamografia não salva vidas. Ela pode, na verdade, fazer mais mal do que bem, gerando resultados falso-positivos, que acabam levando a tratamentos muito agressivos com radiações que são indutoras de câncer.(Web)

Estudo choque: Como já descrito na Natural News por mais de uma vez, o principal objetivo da mamografia não é "salvar" a vida das mulheres com câncer, mas recrutá-los como falsos positivos para aterrorizá-las e fazê-las se submeter a tratamentos caros e tóxicos, como a quimioterapia, radioterapia e cirurgia.
A mamografia é uma farsa médica, com mais de um milhão de mulheres americanas prejudicadas por "tratamentos" não necessários para tumores que nunca tiveram.
O "pequeno segredo sujo" da indústria do câncer é que os oncologistas que aterrorizam mulheres com a falsa crença de possuir um câncer, são os mesmos que fazem enormes lucros com a venda dos seus produtos quimioterápicos. O conflito de interesses e abandono da ética na indústria do câncer é de tirar o fôlego.
Agora, um novo estudo científico confirmou que a maioria das mulheres com "diagnóstico" do cancro através da mamografia nunca teve câncer, e isso é apenas o começo.

93% de "diagnóstico precoce" não tem nenhum benefício para o paciente.
Esta é a conclusão do estudo pioneiro publicado no New England Journal of Medicine do qual o co-autor, Dr. Gilbert Welch conclui: "Nós descobrimos que a introdução do screening levou a 1,5 milhões de mulheres a serem diagnosticadas com câncer de mama em fase inicial." À primeira vista isso pode parecer uma boa notícia e você poderia pensar: "Bem, a diagnose precoce pode salvar vidas, tal como nos foi dito a Komen e as organizações sem fins lucrativos sobre o câncer." Mas você estaria errado. Como descoberto pela equipe do Dr. Welch, virtualmente, não houve praticamente nenhuma redução da fase terminal de câncer de mama de todos estes diagnósticos precoces, e isso significa que a maioria das mulheres a quem foi dito de haver um cancro da mama após uma mamografia, foi uma mentira.

O médico continua: "Nós descobrimos que houve apenas 0,1 milhão de mulheres a menos com o diagnóstico de câncer de mama em fase terminal. A discrepância significa que houve um monte de diagnóstico desnecessário e exagerado: a mais de um milhão de mulheres foi dito de ter um câncer em estágio inicial - Muitas delas foram submetidas à cirurgia, quimioterapia ou radioterapia por um câncer que nunca lhes teria feito algum mal. Embora seja impossível saber quem são essas mulheres, o dano é evidente e grave ".
Na verdade, se você fizer os cálculos, 0,1 milhões de mulheres a menos com um câncer terminal em confronto de 1,5 milhões de diagnósticos precoces significa que se teve um falso-positivo em 93% dos casos; Isso quer dizer que, em qualquer modo, não teriam chegado ao estágio terminal do câncer.

Quimioterapia, radioterapia e cirurgia oncológica são, em grande parte, farsas.
Como dito por cientistas, "o câncer de mama tem sido over-diagnosticado (ou seja, os tumores foram encontrados na triagem, mas estes nunca teriam levado a sintomas clínicos) em pelo menos 1,3 milhões de mulheres americanas nos últimos 30 anos." Os oncologistas dessas mulheres mentiam: "se você não concordar com o tratamento, você vai morrer dentro de seis meses" (ou dois anos, ou qualquer tipo de diagnóstico fraudulento possam usar).
Sob a ameaça desse medo, a maioria das mulheres se inclinaram e concordaram em iniciar o tratamento - muitas vezes no mesmo dia do falso diagnóstico. O chamado tratamento consiste numa injeção de substâncias químicas letais que fazem a fortuna dos oncologistas que os vendem aos seus próprios pacientes. Sim, isso mesmo: as clínicas de oncologia e os centros de tratamento de câncer, obtêm  enormes lucros em cima da quimioterapia que vendem aos seus pacientes - os mesmos pacientes que eles assustam e os dirigem para o tratamento, depois das mamografias falso-positivos.
Ignorando o fracasso quase total da mamografia, a partir de um ponto de vista científico, a propaganda estimula para se dirigirem à essa técnica absurdo.

Como o Dr. Welch explica no artigo do New York Times:
"Nenhum outro teste clínico tem sido tão propagandado como a mamografia - os esforços foram além da persuasão e chegaram à coerção. E os que a propuseram, usou o mais enganador das estatísticas de triage disponíveis: as taxas de sobrevivência.
Komen for the Cure, foi descoberta mentindo sobre os supostos "benefícios" da mamografia. Seus truques estatísticos prejudicam a maioria das mulheres, infelizmente, e as convence a se submeter à quimioterapias tóxicas para o cancro da mama que nunca tiveram.

O grasnido da oncologia moderna
Quando as mulheres começam uma quimioterapia por um câncer que não possuem, começam a experimentar o que oncologistas chamam de "sintomas do câncer." O cabelo cai. O apetite desaparece. Os músculos se atrofiam. Tornam-se fracas, confusas e cronicamente cansadas. O médico de câncer, em seguida, lhes diz: "você deve ser forte para suportar tudo isso enquanto as drogas fazem efeito"

Pura baboseira! Seria melhor invocar o vodu ou simplesmente esperar de ser curada milagrosamente. Porque tudo que està em torno à experiência do câncer na medicina moderna -o diagnóstico, o tratamento, as autoridades sanitarias… é maliciosamente fabricado para gerar lucros com a indústria do câncer.

O Dr. Welch escreveu no The New York Times:
“Seis anos atrás, um follow up a longo prazo de um estudo randomizado, mostrou como um quarto dos tumores encontrados pela triagem fossem um caso de excesso de diagnósticos. Este estudo refletiu o potencial das máquinas dos anos 80. Os novos máquinários digitais encontraram muito mais anormalidades, e as estimativas de excesso de diagnósticos aumentaram, também, de forma proporcional: agora estamos, provavelmente, entre um terço e metade dos cânceres diagnosticados com este método. Muitos dos diagnósticos de câncer na mamografia são falsos. Mas são uma boa técnica de terrorismo para encontrar mulheres-adeptas para o que poderia ser chamado de "culto do câncer", onde são manipuladas até o ponto do auto-envenenamento com medicamentos. Mais tarde serão chamadas de "sobreviventes ao câncer ", se o veneno não for capaz de matá-las.
Estas sobreviventes de câncer, obviamente, são vítimas de um malicioso culto médico que eu chamo de "o culto da Komen". Em quase todos os casos, não foi o câncer que as matou, mas o tratamento!

O culto da Komen
O "culto da Komen" é uma versão moderna do culto de suicidio de massa em 1978 por Jim Jones. É um culto onde as pessoas "acreditam" na promessa de salvação de uma doutrinação química, mas, na realidade, lhes dão a morte, dor, sofrimento e humilhação. (Muitos cirurgiões oncológicos têm, literalmente, amputado seios como resultado de diagnósticos falso-positivos, desfigurando as mulheres para o resto da vida).
Não são apenas mulheres que são manipulados até o ponto de deixar-se  amputar os seios pelos cirurgiões; se trata também de mulheres manipuladas para serem injetadas com venenos mortais que destroem seus rins, fígados, e seus cérebros. O efeito colateral número 1 da quimioterapia, no entanto, é o cancro.
Como qualquer culto, o da indústria do câncer apelam a uma propaganda carregada de conteúdo emocional de símbolos poderosos (os laços rosas). Milhões de mulheres são inocentemente aprisionadas em eventos e arrrecadaçao de fundos, aparentemente sem indicio de que a maior parte do dinheiro para a "cura" acaba por pagar mais mamografias e, portanto, outros diagnósticos falsos que forçarão mais mulheres a cair no racket.

O que a indústria do câncer está fazendo agora é, sem meias medidas, um crime contra as mulheres. É também uma forma de mutilação cultural com respeito às mulheres, mais ou menos como vimos com os astecas, os maias e várias culturas africanas durante o curso da história.
O culto da Komen é uma operação criminal? Quase certamente. Em uma base científica? Nem mesmo por sonho. Não há nada de científico na indústria moderna do câncer, se não a manipulação científica dos medos e emoções das mulheres. O que está faltando na Komen e à indústria no campo da ética, científico ou dos fatos é largamente compensado pelas táticas de influência linguística, de coerção e de mentiras deliberadas sobre os benefícios da mamografia.

A indústria do câncer não é um business da cura do câncer, no final das contas; na verdade, é o business da propaganda do culto do câncer. Como explica o Dr.Welch:
"Os defensores do screening incentivam o público a acreditar em duas coisas falsas e conhecidos como tais. Em primeiro lugar, que cada mulher que teve câncer diagnosticado com uma mamografia, teve sua vida salva (imaginem aquelas T-shirts com o slogan "A mamografia salva vidas. Eu sou uma prova"). A verdade é que essas "sobreviventes" são muito mais provavelmente ​​vítimas do excesso de diagnósticos.
Assim, todas aquelas mulheres que marcham vestindo uma T-shirts rosa que dizem "a mamografia salva vidas" estão, na verdade, declarando-se como vítimas inconscientes de uma campanha científica dirigida às mulheres e destinada a assustá-las e levá-las a tratamentos que não precisam e que as mutilarão com drogas tóxicas ou bisturis cirúrgicos.
Se aquelas camisas dissessem a verdade, deveriam dizer "eu sobrevivi à indústria do cancro".

A grande pergunta em tudo isso, obviamente, é: por quanto tempo a cultura ocidental vai continuar a viver sob a influência do culto da Komen? Quantos milhões de mulheres terão de se sacrificar sob a farsa da mamografia e a fraude da oncologia moderna? Mas, acima de tudo, porque as famílias permitem que as suas mães, filhas, tias e avós sejam envenenadas e mutiladas bem diante de seus olhos, sentadas de braços cruzados sem nenhuma ação?
A oncologia moderna é a Idade Média da medicina ocidental
Chegará o dia em que a prática moderna da quimioterapia será relegada nos livros de história como malversação médica, junto com o respirar vapor de mercúrio ou de remover cirurgicamente os órgãos do corpo para tratar doenças psiquiátricas. Até esse dia, um número incontável de mulheres inocentes será enganado e levado a mutilações, intoxicação química e radiação pelos médicos do mal que, francamente, não se importam minimamente sobre quantas mulheres mutilam ou matam, pois sabem que serão sempre reembolsados.

Esta é a verdade sobre a indústria de câncer que você não vai ouvir da Komen (ou de qualquer outro adepto do culto do laço rosa).

A conclusão dos autores do estudo
Apesar do aumento substancial no diagnóstico do câncer de mama em fase inicial, o rastreio mamográfico tem apenas marginalmente reduzido o número de mulheres que se apresentam com um câncer avançado. Embora não seja claro quais sejam as mulheres realmente afetadas, esse desequilíbrio sugere um substancial excesso de diagnósticos em cerca de um terço dos novos diagnósticos e que o rastreio tem, na melhor das hipóteses, apenas um efeito mínimo sobre as taxas de mortalidade por câncer de mama .
Mike Adams

Fonte: www.naturalnews.com
Link: 
http://www.naturalnews.com/038099_mammograms_false_positives_overdiagnosis.html
http://www.disinformazione.it/mammografia_bufala.htm


Nessun commento: