sabato 21 gennaio 2012

Quer saber o dia da sua morte? Um simples exame de sangue lhe dirá!


Está entrando no comércio inglês, um exame de sangue que mede o tamanho dos cromossomos, para detectar quanto tempo você tem de vida.. E a polêmica está servida…

Diga-me o tamanho dos seus telômeros e te direi quanto tempo você tem de vida. Este poderia ser o slogan do kit para exame de sangue, vendido nas farmácias da Grã-Bretanha, segundo notícia publicada no jornal Daily Mail

O Primeiro teste capaz de avaliar o tempo de envelhecimento e prever, com ótima precisão, a duração de nossas vidas. 
Não é uma esfera de cristal que lhe revela o ano em que deixará esta terra. É um teste da nossa longevidade. Um exame para ver um pouco mais adiante no nosso futuro. Uma análise de sangue que permite de estabelecer a idade biológica do organismo e determinar, estatisticamente, se os órgãos estão envelhecendo  mais rapidamente do que deveriam.

O teste não é ainda tecnicamente no comércio, mas a companhia espanhola Life Length fez tanta publicidade, que já recebeu pedidos de mais de 40 paises no mundo.

Se trata de um simples kit para exame de sangue -  baseado em uma tecnica revolucionária chamada Ht Q-Fish - e se chama Death Test.
Um nome por nada sugestivo, para dizer a verdade, pois traduzido, quer dizer Teste da Morte.

O kit foi desenvolvido por pesquisadores espanhóis, e custará cerca de € 500, mas, segundo os produtores, depois de ser comercializável, poderá descer a 50 euros.  O objetivo é a medição do comprimento dos telômeros, as porções de DNA localizadas na extremidade dos cromossomos que os protegem de danos, considerados indicadores da velocidade do envelhecimento. Essas terminações, podem ser comparadas com as pontas dos cadarços dos sapatos, que as protegem para não serem desfiadas. A cada divisão celular, os telômeros vão ficando mais curtos, até desaparecerem completamente. A esse ponto, sem a proteção dos telômeros, as células, não sendo mais capazes de se dividirem, envelhecem e morrem.
A parte vermelha
Uma descoberta destinada a mandar em aposentadoria mágicos, adivinhos, e cartomantes que, até agora, eram os únicos depositários de uma tal “verdade”. Pelo menos para aqueles que crêem. 

Já se sabe que os brasileiros são muito supersticiosos, bem mais do que os Ingleses, logo, se o fabricante quiser, provavelmente, expandir o mercado, introduzindo o teste no Brasil, a primeira coisa que terá de fazer é espremer bem os miolos para encontrar um nome mais bonitinho, talvez, menos sombrio e bem mais atraente. 
Então, com um “pequeno” custo de 500 euros, você poderá conhecer uma parte do seu destino, pra não dizer o fim dele.

Como se aplica

De acordo com uma teoria comprovada, o comprimento dos talômeros é diretamente proporcional à expectativa de vida. A novidade do estudo realizado em Madrid, seria a absoluta precisão no cálculo das medidas. O teste contido no kit, será capaz de calcular o comprimento exato dos telômeros e estabelecer a presença daqueles prejudiciais.

É possível que uma análise mais detalhada possa até dar alguma indicação a mais, sobre doenças mais graves, como câncer, doença de Alzheimer e muitas doenças cardiovasculares.

Maria Blasco, uma dos autores do estudo, afirmou:
O tamanho dos telômeros  é o único marker do envelhecimento a superar sólidas provas científicas. Saber se os telômeros são de tamanho normal, para determinada idade cronológica, dá uma indicação do estado de saúde e idade fisiológica e pode nos ajudar a prever as doenças, antes que elas se apresentem.

Em suma, uma meta incrível, mesmo se não faltam controvérsias de caráter ético. Muitos especialistas apontam para uma eventual utilização abusiva de tal descoberta, por parte, por exemplo, de organizações sem escrúpulos dispostas a lucrar com remédios anti-envelhecimento, ou por companhias de seguro que poderiam até decidir de tornar o teste obrigatório, antes de assinar os contratos.
Enquanto isso, 59% dos britânicos afirma de não haver nenhuma pressa em saber a idade da própria morte.

Por enquanto, é apenas um estudo desenvolvido por uma equipe de cientistas do SpanishNational Cancer Research Center di Madrid, mas se o experimento der resultados positivos, uma empresa britânica já está pronta para promovê-lo no comércio, inicialmente na própria pátria e depois, no resto do mundo.

A empresa privada Life Lenght garante que o teste, imediatamente após o desembarque na Grã-Bretanha, será expandido em toda a Europa e EUA, ao longo dos próximos 5-10 anos. 
O já renomeado teste da morte, na realidade, pode determinar só a idade biológica, e, certamente, não a cronológica, muito menos os meses ou anos que restam para se viver, quem se submeter ao teste. Mas, certamente, esta medida de telômeros poderia, sem duvida, fornecer informações vitais sobre os riscos de morte prematura, causada por uma variedade de doenças cardiovasculares, de Alzheimer ou câncer.

Sabemos que as pessoas que nascem com telômeros mais curtos do que o normal, têm uma vida mais curta, mas nós não sabemos se isso também se aplica ao contrário. O que é realmente novo neste teste é a sua precisão absoluta. Podemos detectar diferenças, mesmo muito pequenas, no comprimento dos telômeros e, mais importante, nós podemos determinar a presença de telômeros perigosos, ou seja, aqueles que são muito mais curtos. Podemos exprimir com precisão, o percentual de telômeros curtos. Se esse percentual supera o 25%, o sujeito é considerado de alto risco de envelhecimento precoce. Afirma Maria Blasco.

Mas os telômeros também sabem ser volúveis. De fato, se sabe que a enzima telomerase (em abundância nos recém-nascidos) permite o seu alongamento. E nisso, muitas indústrias farmaceuticas já estão trabalhando, a fim de criar a pílula da imortalidade. Mas, também, se sabe que exercício físico, meditação, consumo de omega-3 e alimentação saudável, mantém o comprimento do telômero. Já o fumo, obesidade, stress psicologico, como já é noto, aceleram o seu encurtamento.

Uma jornalista italiana se submeteu ao teste e conta o seu drama

A jornalista italiana Deborah Ameri que, segundo ela, tem 20 anos no espírito, demonstra 28 mas, na realidade, tem 38 anos, resolveu se submeter ao teste. E descobriu que a sua idade biológica è muito diferente de todas essas!
“Depois de contactar a Life Length, enviei a minha amostra de sangue. Chegou o dia previsto para receber o fatídico resultado sobre o meu “fim fatal”.
Antes, faço mil elaborações mentais sobre a credibilidade desse teste. Afinal, a Life Length testou somente 500 pessoas. O database deles logo, è muito limitado. Assim, não devo me preocupar. Porém, não parava de sofrer: “Vou morrer jovem, eu sinto isso”. Enquanto penso, já vejo meu marido viúvo e começo a soluçar. Não chamei ninguém para me desabafar. É uma pequena dor privada. Pela primeira vez, sinto medo de morrer sem ter feito ou dito tudo o que me propus. Mentalmente, começo a fazer meu testamento (sim, è ridiculo, eu sei). Deixo metade dos meus (pocos) bens a meu irmão, desempregado, filho de uma Itália que dá as costas aos jovens… Ok.

O telefone toca. Estou pronta ao veredicto.
“Sinto muito, mas os resultados do teste não são bons”. Me comunicam.
“A sua idade biologica è de 54 anos”.
Como 54? Eu tenho 38! Me lanço no pânico. Vou morrer cedo! Na realidade, esperava até bem pior, pensava de ter uns 80 anos ou mais…
Depois de alguns  momentos de tortura infernal, consigo impostar melhor minha atenção, para ouvir melhor o que estavam me explicando: “Os telomeros curtos são “apenas” 25%, mas o tamanho médio da totalidade deles, aquele que indica a herança genética, ainda permanece dentro da norma”.

Dou um sospiro de alivio. A voz do doutor soava reconfortante: Me diz que isso serve como um tapinha nas costas, “Hei, fique atenta, procure viver melhor” É como um exame de colesterol. Se for alto, se pode sempre remediar. 

2 commenti:

Aurelio Cesar Stupp ha detto...

Eliude, intrigante esse teste, mas eu não faria, existem vários fatores que podem causar a morte muito antes de qualquer previsão, violência, afogamentos, desastres, o teste pode ser preciso quando se trata dos cromossomos, mas o destino pode nos trazer surpresas desagraveis.
Abraço!

Eliude Santana ha detto...

Verdade. Precisaria ter uma curiosidade, muito além da lògica, para se submeter a algo do tipo. Enfim!
Abraços