ES2

giovedì 21 giugno 2018

Os Seres Humanos não provêm do Planeta Terra



A existência da humanidade sobre a face da Terra ainda está cercada de mistérios. Muitos dos conhecedores científicos da atualidade têm procurado elucidar muitos dos enigmas ligados à evolução humana, mas ainda estão longe de esclarecer e revelar o que possa ter ocorrido, e tudo faz crer que o mistério da vida humana ainda se encontre em uma espécie de cápsula do tempo.

Humanos e alienígenas viveram juntos em épocas remotas
No antigo Egito, bem como na velha Suméria, temos uma infinidade de fatos que desafiam os conhecimentos da nossa civilização, mas também podem dar a idéia de que seres humanos e alienígenas viveram juntos e construíram uma civilização cujos conhecimentos técnicos científicos inibem nossa astúcia de compreensão.

Pesquisadores científicos mostraram que a humanidade tem o que poderia ser definido "genes alienígenos" que não foram transmitidos à nossa espécie, de qualquer ancestral do homem conhecido no passado distante. Propõem que a humanidade deve ter adquirido esses genes em um passado distante, quando organismos diferentes (microorganismos) começaram a coabitar com o mesmo ambiente. Esta descoberta desafia o paradigma da evolução animal, baseado em genes transmitidos apenas por linhas ancestrais diretas.

Esses genes “constituem uma memória excepcionalmente confiável para uma “assinatura” alien inteligente, possuindo modelos no código genético, estatisticamente muito significativos e funções inteligentes, que não são coerentes com qualquer outro processo natural conhecido e aparecem como resultado de precisão absoluta”, escreveram os cientistas do Cazaquistão -Vladimir Shcherbada e Maxim A. Makukov.

Uma espécie alienígena inteligente modificou nosso código genético?
No novo estudo, os cientistas foram capazes de confirmar até dezessete genes previamente relatados, que se acredita terem sido adquiridos por transferência horizontal de genes, enquanto a identificação de outros 128 "Genes Alienígenos" nunca foram vistos antes.

Os teóricos dos Antigos Astronautas propuseram-nos a extrema possibilidade de que uma espécie alienígena inteligente tenha visitado nosso planeta, milhares de anos atrás, e que,, de alguma forma, tenha modificado nosso código genético, fazendo com que o gênero homo desse um salto evolutivo que exigiria milhões de anos.
Agora, um ecologista americano, em um novo livro, avança uma hipótese ainda mais ousada: os seres humanos não são originários da Terra, mas teriam se desenvolvido em outro planeta e depois transportados para cá. As provas? Algumas de nossas características fisiológicas são inadequadas para o planeta Terra.

Dr. Ellis Silver é um ecologista atualmente envolvido no esforço para limpar detritos plásticos que afligem o Oceano Pacífico. Em seu último livro Humans are not from Earth: a scientific evaluation of the evidence – (Os Humanos não provêm da Terra: uma avaliação científica das evidências) - o pesquisador propõe uma teoria sobre a origem da raça humana realmente na fronteira com a ficção científica, pelo fato que ele acredita que os seres humanos poderiam não ser originários da Terra, mas foram "trazidos" de fora, dezenas de milhares de anos atrás.

Em apoio à sua tese, Silver oferece alguns tópicos baseados na fisiologia humana que, segundo ele, fazem pensar que os humanos não teriam sido evoluidos junto com outras formas de vida do planeta Terra. Como ele mesmo afirma em seu livro, o trabalho é baseado em evidências científicas sobre as diferenças fisiológicas entre os humanos e os outros animais.
Enquanto o planeta Terra parece satisfazer plenamente as necessidades dos seres vivos, os seres humanos, em alguns casos, parecem desajustados, pois sofrem de alguns "defeitos" que revelam que eles não são "deste mundo".


Como explica um artigo no Yahoo News, presumivelmente, a humanidade é a espécie mais evoluída do planeta, no entanto é surpreendentemente inadequada e mal equipada para o meio ambiente da Terra: o sol causa queimaduras na pele, por exemplo; além disso, o fato de que
sofra de dor nas costas, parece mostrar que o homem foi concebido em um ambiente de baixa gravidade; Como explicar, então, as dificuldades encontradas pelas fêmeas humanas no parto? É estranho que as cabeças dos bebês sejam tão grandes, dificultando o parto, causando até mesmo a morte da mãe e do bebê. E finalmente, por que as doenças crônicas nos afligem?

Segundo Silver, nenhuma outra espécie nativa do planeta Terra tem esse tipo de problema. "A Terra é capaz de satisfazer as nossas necessidades como espécie, mas talvez não em maneira assim tão eficaz, como tinham calculado os que nos trouxeram aqui", explica o ecologista.
"Os lagartos podem ficar no sol o tempo que quiserem. Se nos expormos ao sol por um dia inteiro, no dia seguinte, estaremos cobertos de queimaduras solares. Além disso, nos ofuscamos com a luz do sol, um fenômeno que a maioria dos animais não experimenta ".
Além do mais, parece que os seres humanos estão sempre sofrendo de algum tipo de doença. "Somos todos doentes crônicos", explica Silver. "De fato, é quase impossível encontrar uma pessoa que esteja em 100% de sua forma e com saúde física perfeita. Acho que muitos dos nossos problemas derivam do simples fato de que nossos relógios biológicos internos evoluíram para um dia com 25 horas (como demonstrado pelos pesquisadores do sono), enquanto o dia da Terra dura apenas 24 horas ”.

Há, ainda, aquela curiosa sensação predominante sentida por muitas pessoas, as quais sentem que não pertencem a este lugar ou que simplesmente "há algo errado".
"Tudo isso sugere, pelo menos para mim, que a humanidade pode ter evoluído em outro planeta e que poderia ter sido trazida aqui como uma espécie já altamente desenvolvida, entre 60.000 e 200.000 anos atrás", continua Silver. "Uma das hipóteses que eu suponho no livro é que a Terra poderia ser um planeta-prisão, pois parece que somos uma espécie naturalmente violenta.
Talvez nós permaneçamos aqui até aprendermos a nos comportar melhor.”

Ellis Silver espera que seu livro abra um debate, de modo a inspirar mais pessoas a procurar mais evidências com relação à sua hipótese.
"O livro foi publicado principalmente para avaliar a reação dos leitores e provocar o pensamento, especialmente entre aqueles que nunca haviam considerado essa possibilidade.”

No final, temos que lidar com a incrível idéia de que toda a vida na Terra carrega consigo um pedaço genético de um parente ou um primo extraterrestre e que a evolução não é aquilo que pensavamos de ser”. Sam Chang -

Fonte: https://www.nuovouniverso.it/

Nessun commento: