giovedì 18 agosto 2011

A segunda lei de Newton não funciona mais! Como se explica?

Agora falaremos sobre física. Deixe-me dar-lhes informação histórica sobre um dilema  e o que a ciência fez com esse dilema. Depois falarei sobre coisas que nunca dissemos antes e complementaremos com informação científica que vocês precisam ouvir. Coisas das quais falamos algumas vezes anteriormente irão hoje fundir-se com coisas que nunca falamos, para dar a vocês simplesmente a verdade sobre a física em áreas que talvez nunca tenham ouvido antes. Nós trazemos estas coisas desta forma por uma razão. A primeira é que queremos que tenham isto arquivado. Algum dia haverá aqueles que pegarão estas transcrições e compararão com as descobertas da ciência. Depois verão que há uma confluência da verdade. Então eles terão que dizer que esta informação esotérica foi real... não apenas um ser humano no palco, entretendo a platéia e fazendo suposições sobre a ciência. Estas são idéias elevadas e serão traduzidas para as páginas dos seus livros eventualmente. Esperem!

Se trata de uma lei de Newton que é uma lei responsável por toda a mecânica orbital em seu sistema solar. Ela explica toda esta mecânica e é a segunda lei de Newton. Em sua formulação fundamental é uma descrição da força, matéria e aceleração. E estes fundamentos explicam os movimentos dos planetas - os movimentos e a inércia em todas as partes. Ela faz isto tão bem que esta fórmula é responsável pelos cálculos de lançamentos de satélites e de sondas espaciais ao redor de todo o sistema solar. Toda esta matemática, tão centrada na segunda lei de Newton, funciona.
Se vocês tiverem notado em seu próprio sistema solar e se gostam de astronomia, verão o que Newton viu - que os planetas [objetos com massa constante] que estão mais próximos da influência gravitacional do Sol, viajam a velocidade diferente daqueles que estão mais distantes.  Esta se tornou a fórmula da segunda lei de Newton e é verdadeira até hoje e vinha mantendo assim...  até que recentemente a ciência descobriu alguns desafios.

A primeira coisa que gerou interesse foi quando as partículas se tornaram muito pequenas e então a lei se quebrou. Elas não seguiam mais as regras. Quando se chegou à estrutura atômica a fórmula era diferente. Este foi na verdade o motivo para o nascimento da física quântica - a explicação do pequeno e do muito pequeno e das teorias que o acompanham incluindo as interdimensionais. E isto estava bem para a ciência. Novas teorias disseram que quando a matéria fica super-pequena, precisa haver uma diferença na interação dos objetos com massa. Alguns dizem que isto se deve ao fato de que as partículas menores não têm a massa constante que os planetas e a lua têm... algo não muito difícil de se lidar dentro da mente do cientista. Não apenas isto, os seres humanos têm a habilidade de experimentar com o super-pequeno, com aceleradores atômicos - prótons e anti-prótons colidindo quase à velocidade da luz, para ver o que acontece. Então os seres humanos podiam verificar as novas leis dentro do mundo super-pequeno. Foi aí que algo aconteceu.
Com o advento dos novos “olhos” da Terra, através de espelhos controlados por computadores em arranjos telescópicos, vocês começaram a estudar as galáxias distantes e a vê-las melhor. E para a surpresa dos astrônomos, eles podiam ver as estrelas rodando ao redor do centro da galáxia, assim como seu sistema solar gira ao redor do Sol, mas com uma grande diferença. Ele não segue a lei de Newton!

As galáxias se movem em rotação de disco
E para surpresa dos astrônomos, eles descobriram que as estrelas rodando ao redor do centro da galáxia estavam em um “modo de rotação de disco - invariável.” Deixe-me explicar isto a vocês. Se vocês pegassem um disco e colocassem algumas pedras sobre ele, mais perto e mais longe do centro e depois girassem o disco suavemente perceberiam que todas as pedras ou partículas giram juntas uma atrás da outra, mantendo a influência entre elas na mesma perspectiva. Em outras palavras elas não se movem mais rápido ou mais lento devido à distância do centro. Isto é chamado de rotação de disco e é o que as galáxias fazem.
No entanto, de repente, a segunda lei de Newton não funciona! As estrelas poderiam ter uma grande massa constante, no entanto não estavam seguindo as regras da mecânica orbital. A lei de Newton parece funcionar para o sistema solar, mas não funciona para as galáxias. Isto não faz sentido e está no centro da controvérsia e da eventual descoberta de algo que a astronomia está começando a ver.

Na matemática da medição de energia do universo, a ciência diz que algo está criando uma energia que não podem ver e que está empurrando a matéria de uma forma que afeta a lei de Newton. Eles dizem que não sabem o que é e que não podem vê-la. É uma energia invisível criando um novo tipo de sistema orbital, que eles agora percebem estar em todas as galáxias. Então eles a chamam de matéria escura, uma matéria misteriosa que influencia tudo.
A matéria escura não é realmente escura. Esta é simplesmente a definição científica para uma energia que está faltando. Isto é tudo o que é. Algo está puxando e empurrando de uma forma que não segue a mecânica orbital da clássica lei de Newton. Como pode ser isto? Agora o dilema está lá. O muito pequeno não funciona bem. O muito grande não funciona bem. O seu sistema solar parece estar bem. Alguém está trabalhando nisto agora, e eu preciso mencionar isto. Portanto coloque seu boné esotérico só por um instante. Newton tinha um assistente que estava muito envolvido com seu trabalho. Este assistente está vivo atualmente (surpresa!) e, é claro, é um astrônomo e está muito perto de entender tudo isto.
Cada galáxia tem um sistema empurra/puxa em seu centro. Este é um sistema de energia gêmea, mas vocês só vêm um. Vocês estão convencidos de que é invisível, um buraco negro. Nenhuma luz escapa, mas vocês pensam que é algo singular, uma única coisa. Como vocês são tridimensionais! Não é apenas uma coisa. Ao contrário é um belo buraco de uma agulha duplo.

Agora ouçam. Quando começarem a mapear o universo e observarem como as galáxias são realmente colocadas juntas, já saberão que não é algo aleatório. Isto não é interessante? O que vocês chamaram de Big Bang não deveria estar distribuído de forma aleatória por toda parte a partir do quase nada? Então por que existe um padrão? Esta é a parte bela, querido ser humano. Existe um padrão no aparente caos do evento interdimensional que foi o Big Bang. Como dissemos antes, o seu Big Bang foi na verdade uma grande colisão interdimensional com outra força interdimensional. A interdimensionalidade parece ser o caos com um padrão escondido.

A energia faltante do universo
Imagine comigo por um momento uma agulha gigante. Passe duas linhas por ela. Uma vai para dentro do buraco negro e a outra sai dele. Estas linhas são cordas de força interdimensional que depois se conectam com outras galáxias, entrelaçando-se para dentro e para fora de seus centros que são buracos negros de olho duplo. Um sistema puxa/empurra - uma força interdimensional da qual ainda não estão conscientes, alinhavando as galáxias umas às outras. Agora visualizem em sua mente este acolchoado tendo uma simetria e um propósito. Se vocês pudessem olhar para o meio dele, para o meio do universo, a partir de certo ângulo, teriam a simetria de uma mandala. As galáxias são formatadas lindamente juntas em uma dança elegante. A simetria faz sentido e é de base 12. Nós lhes desafiamos a encontrar isto. E aquilo que parecem fios entrando e saindo dos centros das galáxias, estas novas forças que acabei de descrever, é uma malha. Uma malha com simetria e propósito... a malha cósmica. Ela tem beleza. E é a energia faltante do universo, segundo aqueles que procuram por ela. A matéria escura que todo mundo procura não está nos espaços vazios entre as coisas. Está nas cordas de forças interdimensionais entre as galáxias, colocadas lá propositalmente. Oh, é um sistema maravilhoso. Vocês desejam que a matéria escura faça sentido em 3D, mas não pode ser assim. Ela lida com as duas forças interdimensionais do universo que são quânticas e, portanto estão fora do tempo e da previsão de suas fórmulas 3D.

Não seria maravilhoso se alguém aparecesse na Terra com lentes astronômicas interdimensionais? E se isto fosse possível o que veriam? Veriam exatamente o que acabei de descrever. Primeiro vocês poderiam ver a natureza gêmea do buraco negro que parece ser um. Uma lente interdimensional olha para a gravidade e o tempo, e a curvatura deles em padrões.
Se estivessem olhando para o universo com esta lente, veriam como os gêmeos se relacionam um com o outro e veriam as fibras conectando as galáxias, muito claramente. Isto não seria maravilhoso? Explicaria a energia faltante, não é? Daria motivos aos cientistas para aumentar as quatro forças para seis! E... isto pode ser feito.
Vocês estão próximos da descoberta, e ela está nos éteres. Portanto, eu não estou dando a vocês nada que o livre arbítrio humano não vá descobrir por si mesmo. A solução está flutuando no sistema, pronta para ser encontrada. 
Kryon

4 commenti:

Marcela ha detto...

Oi!
Kryon é espetacular!
Adoro as mensagens dele.
Bjos

Eliude Santana ha detto...

Verdade, amiga. Sou fan numero 1 de Kryon. Qta sabedoria e profundidade!

Anonimo ha detto...

E se o heliocentrismo for uma mentira. Como fica a ciência?

Eliude Santana ha detto...

Mais cedo ou mais tarde, deverao descobrir com surpresa, que o centro do Universo està em todo lugar. Nao existe um ponto fixo centralizado, o universo està sempre em mudança dimensional, continuamente, com a energia puxa/empurra.
Um abraço.